Simulação Clínica como Estratégia de Implementação de Educação Permanente em Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52572/revchronosurg.v1i1.25

Palavras-chave:

Urgência, Simulação Realística, Atendimento Pré-hospitalar, Educação Permanente, Metodologias Ativas, Motivação

Resumo

O Núcleo de Educação Permanente (NEP) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Fortaleza (SAMUFor), no processo de implementação de Educação Permanente, iniciou o uso da metodologia da Simulação Clínica (SC). Objetivo: relatar a experiência de uso da SR como estratégia para melhorar a adesão e diminuir a evasão às atividades educacionais no NEP SAMUFor. Metodologia: trata-se de estudo descritivo, qualitativo, baseado em relato de experiência, de uma capacitação em suporte avançando de vida dentro de uma estratégia de educação continuada, fazendo parte de uma perspectiva de Educação Permanente no SAMUFor. Resultados: dos 13 educandos um desistiu, alegando dificuldade de tempo para acompanhar o curso. Os demais se fizeram presentes e oito educandos finalizaram a capacitação com conceito Satisfatório para certificação. As percepções dos educandos sobre a qualidade do curso foram claramente positivas, acentuando motivação para outros cursos no mesmo formato e temática e para contribuir no crescimento da instituição. Considerações finais: o estudo indica que a adoção da SR, aplicada por educadores que tenham formação específica e as competências necessárias para tornar o estudante ativo no processo de ensino-aprendizagem, pode motivá-los, melhorando a adesão e reduzindo a evasão aos processos educacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudio Roberto Freire de Azevedo, Núcleo de Educação Permanente do SAMU 192 Regional Fortaleza

Mestre em Gestão de Tecnologia e Inovação em Saúde (IEP/HSL), atualmente é médico da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMS), na coordenação do Núcleo de Educação Permanente (NEP) do SAMU 192 - Regional Fortaleza. Especialista em Processos Educacionais na Saúde (2012 e 2014), em Gestão da Atenção à Saúde (2012) e em Regulação no SUS (2014), todos pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês (IEP/HSL), foi tutor dos cursos de especialização em Regulação em Saúde (2012) e Gestão de Emergência em Saúde Pública (2014), todos também do IEP/HSL. Ex-chefe da Central de Regulação das Internações e a Equipe de Auditoria, Avaliação e Controle da SMS, prestou assessoria na criação da Equipe de Controle e Avaliação de Leitos Hospitalares e UTI na Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, em 2012, e do Sistema Municipal de Auditoria da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMAFor), em 2013.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? [Internet]. 1a ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde; 2018 [citado 5º de fevereiro de 2022]. 73 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_educacao_permanente_saude_fortalecimento.pdf

Azevedo CRF de, Medeiros JA de. Evolução na Formação de Facilitadores para Educação Permanente pelo Núcleo de Educação Permanente do SAMU 192 Regional Fortaleza. Rev Chronos Urgência [Internet]. 2021 Jul 10 [citado 5º de fevereiro de 2022];1(1):e1121.10. Disponível em: https://chronos.samu.fortaleza.ce.gov.br/index.php/urgencia/article/view/10

NEPSAMUFor N de EP do S 192 RF. Normas de Conduta Técnica e Gestora para Profissionais do SAMU 192 – Regional Fortaleza: Regimento Interno SAMUFor [Internet]. Vol. 1. Fortaleza: SMS Fortaleza; 2016 [citado 5º de fevereiro de 2022]. 158 p. Disponível em: https://samu.fortaleza.ce.gov.br/index.php/repositorio-institucional/download/2-normas-de-conduta-tecnica-e-gestora/82-regimento-interno-samufor

Paniza MDR, Cassandre MP, Senger CM. Os Conflitos sob a Mediação do Laboratório de Mudança: Uma Aprendizagem Expansiva. Rev Adm Contemp [Internet]. 2018 Apr [citado 5º de fevereiro de 2022];22(2):271–90. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552018000200271&lng=pt&tlng=pt

Larsen DP, Wesevich A, Lichtenfeld J, Artino AR, Brydges R, Varpio L. Tying knots: an activity theory analysis of student learning goals in clinical education. Med Educ [Internet]. 2017 Jul [citado 5º de fevereiro de 2022];51(7):687–98. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/medu.13295

Bok HGJ, de Jong LH, O’Neill T, Maxey C, Hecker KG. Validity evidence for programmatic assessment in competency-based education. Perspect Med Educ [Internet]. 2018 Dec 14 [citado 5º de fevereiro de 2022];7(6):362–72. Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/s40037-018-0481-2

Azevedo CRF de, Medeiros JA de, Freitas JG, Santos WO dos, Lima CR de C. Avaliação de Competências em Suporte Básico de Vida em Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Rev Chronos Urgência [Internet]. 2021 Jun 5 [citado 5º de fevereiro de 2022];1(1):e1121.9. Disponível em: https://chronos.samu.fortaleza.ce.gov.br/index.php/urgencia/article/view/9

McClelland DC. Testing for competence rather than for “intelligence.” Am Psychol [Internet]. 1973 [citado 5º de fevereiro de 2022];28(1):1–14. Disponível em: http://doi.apa.org/getdoi.cfm?doi=10.1037/h0034092

Durand T. L’alchimie de la compétence. Barthélemy J, Denis J-P, editors. Rev Française Gest [Internet]. 2015 Nov 18 [citado 5º de fevereiro de 2022];41(253):267–95. Disponível em: http://rfg.revuesonline.com/10.3166/RFG.160.261-292

Wong S-C. Competency Definitions, Development and Assessment: A Brief Review. Int J Acad Res Progress Educ Dev [Internet]. 2020 Sep 24 [citado 5º de fevereiro de 2022];9(3):95–114. Disponível em: https://hrmars.com/journals/papers/IJARPED/v9-i3/8223

Ghezzi JFSA, Higa E de FR, Lemes MA, Marin MJS. Strategies of active learning methodologies in nursing education: an integrative literature review. Rev Bras Enferm [Internet]. 2021 [citado 5º de fevereiro de 2022];74(1). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672021000100303&tlng=en

Scalabrini Neto A, Fonseca A da S, Brandão CFS. Simulação Realística e Habilidades na Saúde. Rio de Janeiro: Atheneu; 2017. 230 p.

Quilici. Simulação clínica: do conceito à aplicabilidade. São Paulo: Editora Atheneu; 2012. 192 p.

Nascimento J da SG, Oliveira JLG de, Alves MG, Braga FTMM, Góes F dos SN de, Dalri MCB. Debriefing methods and techniques used in nursing simulation. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2020 [citado 5º de fevereiro de 2022];41(0):e20190182. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rgenf/a/fjCyqcxZmZk87vcVfr9QPXy/?lang=pt

Ferreira RPN, Guedes HM, Oliveira DWD, Miranda JL de. Simulação realística como método de ensino no aprendizado de estudantes da área da saúde. Rev Enferm do Centro-Oeste Min [Internet]. 2018 Jul 16 [citado 5º de fevereiro de 2022];8(0):e2508. Disponível em: http://seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/2508

Lewis KL, Bohnert CA, Gammon WL, Hölzer H, Lyman L, Smith C, et al. The Association of Standardized Patient Educators (ASPE) Standards of Best Practice (SOBP). Adv Simul [Internet]. 2017 Dec 27 [citado 5º de fevereiro de 2022];2(1):10. Disponível em: http://advancesinsimulation.biomedcentral.com/articles/10.1186/s41077-017-0043-4

Bajaj K, Meguerdichian M, Thoma B, Huang S, Eppich W, Cheng A. The PEARLS Healthcare Debriefing Tool. Acad Med [Internet]. 2018 Feb [citado 5º de fevereiro de 2022];93(2):336. Disponível em: http://journals.lww.com/00001888-201802000-00042

Junior GAP, Guedes HTV. Simulação em saúde para ensino e avaliação: conceitos e práticas [Internet]. 1a Ed. (ABEM) AB de EM, editor. São Carlos: Editora Cubo; 2021 [citado 5º de fevereiro de 2022]. 254 p. Disponível em: http://doi.editoracubo.com.br/10.4322/978-65-86819-11-3

Merhy EE, Baduy RS, Seixas CT, Almeida DE da S, Júnior HS. Avaliação compartilhada do cuidado em saúde: Surpreendendo o instituído nas redes [Internet]. Rio de Janeiro: Hexis Editora; 2016 [citado 5º de fevereiro de 2022]. 448 p. Disponível em: https://editora.redeunida.org.br/project/politicas-e-cuidados-em-saude-livro-1-avaliacao-compartilhada-do-cuidado-em-saude-surpreendendo-o-instituido-nas-redes/

Costa GOF da, Rocha HAL, Moura Júnior LG de, Medeiros FDC. Taxonomia dos objetivos educacionais e as teorias de aprendizagem no treinamento das técnicas cirúrgicas laparoscópicas em ambiente de simulação. Rev Col Bras Cir [Internet]. 2018 Oct 18 [citado 5º de fevereiro de 2022];45(5):e1954. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-69912018000500400&lng=pt&tlng=pt

Downloads

Publicado

12-02-2022

Como Citar

1.
Soares G dos SD, Azevedo CRF de. Simulação Clínica como Estratégia de Implementação de Educação Permanente em Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Rev. Chronos Urg. [Internet]. 12º de fevereiro de 2022 [citado 28º de setembro de 2022];1(1):e1121.25. Disponível em: https://chronos.samu.fortaleza.ce.gov.br/index.php/urgencia/article/view/25