Caracterização dos Ensaios Clínicos Randomizados sobre Urgência e Emergência Realizados por Enfermeiros no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52572/revchronosurg.v1i1.29

Palavras-chave:

Enfermeiros, Ensaios clínicos, Urgência e Emergência

Resumo

Objetivo: Realizar a caracterização dos ensaios clínicos randomizados sobre urgência e emergência realizados por enfermeiros no Brasil. Método: Estudo descritivo, quantitativo. Realizado em laboratório do Instituto Federal de Pernambuco Campus Pesqueira, por intermédio de acesso ao banco de dados online do Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos. Na coleta dos dados aplicou-se instrumento, composto por 23 questões que foram preenchidas de acordo com informações de cada estudo. Para análise dos dados foi utilizado o software Microsoft Excel 2016. Resultados: Dos 321 estudos cadastrados na ReBEC, sete (2,1%) correspondiam a pesquisas realizadas sobre urgência e emergência. Quanto ao público avaliado, dois estudos (28,6%) investigaram enfermeiros, dois (28,6%) foram realizados com estudantes de enfermagem, dois (28,6%) pesquisaram pacientes e um (14,2%) foi constituído para estudantes surdos. No tocante ao tipo de mascaramento, cinco (71,4%) estudos foram abertos; um (14,3%) do tipo unicego e um (14,3%) duplo-cego. Todos os autores encontravam-se filiados a instituições públicas de caráter Federal ou Estadual. Conclusão: Este estudo aponta a limitada atuação da enfermagem na realização de Ensaios Clínicos Randomizados relacionados a urgência e emergência no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Martins WR. Eficácia e Efetividade de Ensaios Clínicos Randomizados: quais as diferenças entre eles? Arq. Bras. Ed. Fís [Internet]. 2020 [citado 03º de maio de 2021];3,(1):09-14. Disponível em: http://dx.doi.org/10.20873/abef.2595-0096.v2n2p914.2020

Pacheco RL, Latorraca COC, Oliveira RÁ, Carmo VS, Riera R. Iniciativa COMET. Escolhendo desfechos em ensaios clínicos randomizados. Diagn Tratamento [Internet]. 2019 [citado 03º de maio de 2021];24(1):12-5. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2019/06/1005090/rdt-v24n1_12-15.pdf

Silva DVA, Oliveira CA, Silva PO, et al. Estratégia para Intensificar a Prática Baseada em Evidência na Formação de Acadêmicos de Enfermagem: Relato de Experiência. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro [Internet]. 2018 [citado 03º de maio de 2021];8:e1784. Disponível em: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.1784

Santana FL, Paris MC, Gabriel KOF, Rosa WF, Petry IL, Alves JNB, et al. Atuação do enfermeiro na urgência e emergência: revisão integrativa da literatura. Brazilian Journal of Development [Internet]. 2021 [citado 03º de maio de 2021];7(4):35994-35006. Disponível em: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-184

Santos MAB, Sá GGM, Caetano JA, Costa AB, Muniz MLC, Galindo Neto NM. Dissertações e teses da enfermagem brasileira acerca da unidade de terapia intensiva. Rev Rene [Internet]. 2017 [citado 03º de maio de 2021];18(4):521-7. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/20256

Sorte EMSB et al. Análise da Percepção de Acadêmicos sobre o Ensino de Urgência e Emergência em Curso Médico. Revista Brasileira de Educação Médica [online]. 2020 [citado 01º de junho de 2021];44, (03)e075. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.3-20190193

Carbogim FC, Luiz FS, Oliveira LB, Braz PR, Santos KB, Püschel VAA. Efetividade de modelo de ensino em um curso de primeiros socorros: ensaio clínico randomizado. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2020 [citado 01º de junho de 2021];29:e20180362. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2018-0362

Pedrosa KKA, Oliveira ICM, Feijão AR, Machado RC. Enfermagem baseada em evidência: caracterização dos estudos no Brasil. Cogitare Enferm. [Internet]. 2015 [citado 01º de junho de 2021];20(4): 733-741. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2016/08/1128/40768-166899-1-pb.pdf

Ribeiro TB et al. Avaliação da resposta inicial de desenvolvimento de ensaios clínicos para COVID-19 no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia [online]. 2020 [citado 16º de agosto de 2021];23 e200104. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-549720200104

Erdmann AL, Peiter CC, Lanzoni, GMM. Grupos de pesquisa em enfermagem no Brasil: comparação dos perfis de 2006 e 2016. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2017 [citado 16º de agosto de 2021];38(2):e69051. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2017.02.69051

Galindo Neto NM, Martins KUSC, Silva PMN, Silva RX, Alexandre ACS, Sá GGM. Produção científica sobre parada cardiorrespiratória nos periódicos brasileiros de enfermagem: estudo bibliométrico. Rev baiana enferm [Internet]. (2020) [citado 16º de agosto de 2021];34:e36363. Disponível em: https://doi.org/10.18471/rbe.v34.36363

Downloads

Publicado

20-02-2022

Como Citar

1.
Brito ACA de, Ramos RG, Silva GI da, Almeida AKF de, Sá GG de M, Galindo Neto NM. Caracterização dos Ensaios Clínicos Randomizados sobre Urgência e Emergência Realizados por Enfermeiros no Brasil. Rev. Chronos Urg. [Internet]. 20º de fevereiro de 2022 [citado 28º de setembro de 2022];1(1):e1121.29. Disponível em: https://chronos.samu.fortaleza.ce.gov.br/index.php/urgencia/article/view/29